Cozinha rural e sustentável

Roosevelt Cássio/Divulgação

Roosevelt Cássio/Divulgação

Para os maiores chefes da atualidade, o processo de criar bons pratos não começa na cozinha, mas, sim, na estreita relação com o pequeno produtor rural que semeia alimentos de qualidade.

Para fortalecer essa estreita relação, sete cozinheiros, entre os mais aclamados da atualidade, participaram no sábado de um almoço a céu aberto na Fazenda Coruputuba, em Pinda, para resgatar a boa relação do homem com a comida.

Em uma espécie de feirinha gastronômica, Alex Atala (D.O.M.), Helena Rizzo (Maní), André Mifano (Vito), Rodrigo Oliveira (Mocotó), Fernanda Valdívia (Maní), Ocílio Ferraz (Restaurante do Ocílio) e Gabriel Broide (Mina) serviram todos sem formalidade, cada um com o seu cardápio, que explorou ingredientes do Vale.

Projeto

Em clima descontraído, o almoço “Caminhos do Rio Paraíba: Redescobrindo Ingredientes” é obra do produtor Patrick Ayrivie Assumpção, que virou amigo de Alex Atala produzindo feijão guandu. Há meses, ele planejava este encontro entre produtores, cozinheiros e, claro, a clientela.
“A ideia é promover um almoço desse por estação, para explorar ingredientes da época, além de estimular a integração entre o produtor rural, a pesquisa e quem vai transformar o alimento depois, que são os chefes”, contou Patrick.

Quem conseguiu adquirir um dos ingressos, que se esgotou em praticamente dois dias, desfrutou de um sábado ensolarado na companhia de ótimas pedidas gastronômicas, como fatias de pão de fermentação natural, cobertas com compota de tomate e fatias de linguiça de capivara, obra-prima do chefe André Mifano.
Outra opção era experimentar, direto das mãos de Helena Rizzo, eleita neste ano a melhor ‘chef mulher’ do mundo, um sofisticado prato à base de mini-arroz com vinagreira e ovas de truta. “São todos ingredientes do Vale”, disse Helena.

“Buscamos o bom ingrediente e muitos têm surgido daqui. A gente trabalha com o arroz do Chicão (o produtor Francisco Ruzene), tenho muito contato com o Patrick e seu trabalho com a agrofloresta. É o começo de uma história legal.”

Fonte: Jornal O Vale- August 19, 2014