II Caminhos do Rio Paraíba, da terra ao fogão na Fazenda Coruputuba

O Trip Rural foi conferir a segunda edição do encontro gastronômico Caminhos do Rio Paraíba onde, mais uma vez, a centenária Fazenda Coruputuba em Pindamonhangaba deu as boas vindas abrindo seus jardins para um ambiente amigo, aconchegante e hospitaleiro para um sábado bem descontraído.

Promovido pelo Centro de Cultura Culinária Câmara Cascudo – C5, associação civil sem fins lucrativos fundada em Setembro de 2012 por cozinheiros, acadêmicos, jornalistas e estudiosos da culinária brasileira, o evento teve por objetivo difundir esforços para melhor se conhecer a culinária brasileira entre interessados na sua vitalidade e renovação.

As atividades do C5 aproxima os cozinheiros dos ingredientes destacados, através de encontros com produtores, especialmente agroflorestais, e com pesquisadores de plantas alimentícias não-convencionais (PANCs), gerando experimentações de uso e vivências agroflorestais. Na Fazenda Coruputuba encontrou ambiente perfeito para difundir mais do que um novo cardápio. Juntas resgatam sabores e saberes adormecidos ou inexplorados de dentro da terra, da mata e da água de todo Vale do Paraíba.

O evento abrangeu toda a região serrana desde o sul de Minas, a Serra da Mantiqueira, o baixo Vale do Paraíba, a Serra da Bocaina, a Serra do Mar e apresentou produtores familiares e culturas de suas terras.

Cultura regional

A anfitriã Pindamonhangaba se fez representar com o arroz Ruzene, pioneiro no cultivo do arroz preto, vermelho e outras diversidades como o arbóreo e o mini-arroz; com os orgânicos certificados da Associação dos Produtores Ecológicos de Pinda (APEP) e, pela Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba da qual a Fazenda é membro com sua agro floresta, PANCs, mel silvestre e viveiro de mudas.

São Bento do Sapucaí apresentou o azeite e OLIQ cultivado em pomares em altitudes que variam de 900 a 1600 metros;

Olivais da Bocaina também trouxe seu azeite;

Instituto AUÁ através do Empório Mata Atlântica trouxe o cambuci em forma de licores da Cia. da Cachaça, geleias do Rancho Inhame Bravo de São Lourenço da Serra, a casca e farinha da casa Alto da Serra;

O Hotel Mazzaropi apresentou a Cachaça Mazzaropi produzida em São Luís do Paraitinga e armazenada em Taubaté;

Guaratinguetá foi representada pelos doces tradicionais, caseiros e delícias que saíam dos pilões do Seu Agostinho da Paçoca, como é carinhosamente conhecido. Seu Agostinho – doceiro, fazedor de pilão, cozinheiro de mão cheia, contador de causos, inventor e colecionador – recepcionou a Trip Rural com um delicioso conto cantado.

Solange Barbosa, historiadora e responsável pela A Rota da Liberdade, representou Taubaté apresentando o programa turístico cultural que mapeia os passos dos negros africanos e seus descendentes na construção da cultura na região do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira no Estado de São Paulo e, os produtos fruto do Centro Cultural Afro-brasileiro e Biblioteca Zumbi dos Palmares, da qual é coordenadora.

E, da cidade de Silveiras, o artesão Antonio Carlos trouxe a arte de esculpir em madeira e lhes dava cores e forma de pássaros. O homenageado do dia o sr. Ocilio Jose Azevedo Ferraz, um dos maiores contribuidores da cultura, da tradição, história e culinária tropeira do Vale do Paraíba trouxe o Restaurante do Ocílio não apenas como um lugar para se comer. Lá o visitante fará uma boa refeição com ingredientes da região, em especial o içá, e de sobremesa, se alimenta de muita cultura. Sr. Ocilio trouxe parte da biblioteca que mantém em seu restaurante de onde faz suas contribuições às nossas raízes.

Chefs

Dos restaurantes e chefs que estiveram presente nesta edição incluindo as PANCs da Fazenda Coruputuba, destacaram-se:

De São Paulo

  • Alex Attala e equipe (Instituto ATÁ) – Niguiri de Rosas com Vinagreira, Erva Baleeira e Cidrão;
  • Helena Rizzo (Restaurante Mani Manioca) – Feijão da Roça;
  • Rodrigo Oliveira (Restaurante Mocotó) – Músculo, Arroz Cateto, Abóbora e Ervilha Orelha-de-padre;
  • Ivan Ralston e o confeiteiro Rafael Protti (Tuju Restaurante) – Cronut de Ora-Pro-Nobis e Tutano e; Arroz Doce do Vale;
  • Francisco Santana (Gelado Sorvete Gourmet) – Banana, rapadura e cachaça / Coalhada e cambuci / Sorbet: Goiaba e Vinho de Missa.

De Campos do Jordão

  • Gabriel Broide (Restarante Mina) – Javalina Grelha com Limão e Mel e;
  • Nelson Gonçalves Jr (Vila Chã) – Sapecada de Pinhão / Tábua de frios da Serra da Mantiqueira
  • O serviço de bebidas foi prestado pelos alunos do curso de gastronomia e hotelaria do SENAC de Campos do Jordão.

Público

Visitantes e apreciadores desta gastronomia que alia a tradição e a contemporaneidade também fizeram toda a diferença. Chefs de cozinha, alunos de turismo, gastronomia, nutricionistas, profissionais da hotelaria e amigos que não mediram esforços para curtir momentos de prazer, descanso e integração com a natureza. Amigos de Atibaia, São José dos Campos, São Paulo, Natal, Goiânia e ainda de Portugal, França e Nova Zelândia prestigiaram o evento. Foram 5 horas de degustação, conhecimento e aprendizado de uma nova cultura em prol da terra, da água, da vida dos campos, de nossas mesas e nossa saúde.

O evento comprovou que não é preciso ir longe para os grandes centros e termos os melhores produtos em nossos pratos. Não é uma questão de bolso, mas de hábito. Alimentar nossos hábitos e valores que podem sair do nosso quintal, é compromisso de cada um de nós!

Fonte: http://www.ecoruraltrip.org.br/